por Felipe Dias

Aconteceu no dia 29/02/2012 o Iº ENCONTRO DE ESCRITORES CARIOCAS DE LITERATURA COM TEMÁTICA GAY, na loja Fnac do Barrashopping (Rio de Janeiro).

O evento foi organizado pelos escritores Luís Capucho, Kiko Riaze, Sergio Viula, Felipe Dias e Fábio Fabrício Fabretti, e contou com as participações especialíssimas (ou melhor, “auxílios luxuosos”) dos também escritores Thiago Thomazini, Rose Madeo e Sissa Schultz. Além desse povo que falou maravilhosamente sobre a literatura da diversidade, e do público que interagiu bem (juro que a Fnac teve que praticamente nos expulsar!), Luís Capucho ainda nos deu uma “canja”, cantando sua música Máquina de escrever (linda!).

Certezas que ficaram:

  • O tema “literatura da diversidade” rende pano para manga. Falamos muito, mas muito não foi possível ser explorado como merecia. Outros encontros se fazem necessários;
  • Sergio Viula é um ator de stand-up comedy nato!
  • O pensamento de Luís Capucho não é caótico;
  • Kiko Riaze sabe “puxar” a platéia;
  • Fábio Fabrício Fabretti deveria se candidatar a apresentador do Sem censura (Leda Nagle que não leia isso!);
  • Muita gente boa está escrevendo sobre a questão LGBT, mas o “mercado” (palavra horrorosa para quem tenta fazer arte!) não dá muitas oportunidades. Sendo assim, “ações entre amigos” (como foi esse evento) se fazem necessárias!
  • Minha ideia de reunir esse povo (poucos se conheciam pessoalmente) foi super válida. Se uma “cabeça pensante” já dá o que falar, imagine várias;
  • E, por fim, o ato de escrever é muito solitário. Via de regra, escritores vivem isolados em seus “mundinhos”, envolvidos em situações que existem apenas em suas mentes. Sendo assim, você que sonha em publicar seu livro, VÁ PARA A RUA! Conheça outros autores, conheça seu possível público, converse, troque ideias, esteja aberto para novas ideias. É óbvio que momentos de recolhimento são fundamentais para o processo de escrever, mas também se faz necessário conhecer e se fazer conhecido. Fica a dica!